Tchê Gaúcho. Frances e Castelhano

Chez Philippe.

Reconhecido no Brasil todo pelas palavras e jeito de falar,
o gaúcho luze orgulhoso, vestimentas, cultura e hábitos
como o churrasco que o identificam com o Brasil e
pelo mundo.
Rio grande do Sul, tem uma universidade com curso
de asador; Toda uma história construída em torno a
vaca e o toro. Ao charque, frigorifico e ao couro.
A industria calçadista, a moda e gastronomia.
A trovadores, desde Teixeirinha até os atuais.
Mas muito pouco fala-se da origem do gaúcho
e da sua relação com o gado.
Espanhóis soltaram os primeiros animais na
região, hoje Uruguai. Neses campos naturais,
encontraram o Éden. Multiplicara-se por milhões.
Outros espanhóis os Jesuítas os trouxeram para
as missões. Assim as Vacarias, e nos sul a do mar.
Pois foi por esta, onde franceses, chagaram a procura
dos couros, e com ajuda dos índios e mestiços promoviam
carneadas gigantescas para extrair o couro e levar.
Numa dessas carneadas parece que o francês chamou a
um Chez gauche!
Todos os ginetes manejavam as rédeas com a mão esquerda,
eram canhotos. Gauche é canhoto em francês.
Alguém certamente sabia escrever.
GAUCHE
Então o CHE, Tchê do sul, virou ou outro, aquele.
Com maior incidência espanhola na vacaria do mar, índios
comunicando-se o che ele, o cho (yo=eu)
Ele é gauche eu gaúcho.
Conheça mais, de  como a França continua fazendo
da gastronomia de Porto Alegre cada vez mais
saborosa. Pagina 20 Inmagazine moinhos digital

 

Minissaia ou saia justa?

Enquanto Avenida Brasil chega no mistério final, a gente encontra na vitrine da rua, a cotidiana paisagem da realidade. Porto Alegre. Dos gaúchos con los hermanos e como extremo sul do Brasil. Entre os Deuses nos formatos diversos. Os Alá, até Cristo da cruz, e o outro, aquele funcionário de pastores. Invocado para apenas fazer milagres, e arrecadar fortunas. Está acabando a euforia democrática das eleições. Há espaços para coisas mais sérias e interessantes. Chega mais uma sexta, para alguns começo de algo para outros, mais um dia. Nesse quadro os salões de beleza descobrem a beleza dos cuidados e transformam. Mulheres comuns em belezas. Pés feitos e vestidos com saltos delicados. Pernas torneadas na academia. Barriguinha tanquinho. Minissaia? ou saia justa?
A pergunta é iminente para quê ocasião?

Para continuar no dilema do equilíbrio. Amor ou negócio? Todas as maquiagens sedutoras, todas as lutas para recuperar liberdades. Sair com amigas, curtir a vida e os momentos. Viajar, ser independente e dona absoluta. Este que tem 15 anos menos, aquele que podia ser o avô, mas….
Então, jantar, viajar , festa, tanto dá. A ocasião não define como a deusa do charme e beleza estará retratada no Face. E tem mais, já o meninão malhado, e o metrosexual mais oTufão, tem na Inglaterra as tradicionais alfaiatarias para converter homens comuns e gentlemans.