480 mil exposições

In Magazine moinhos digital, registra na sua primeira edição um número que impacta. Está exposta em mais de 480 mil telas. de smarts. tablets, notes e plasmas. Isto é a expressão dos conteúdos digitais e sua incidência nos digital actors, denominação que substitui a antiga audiência e telespectadores da época do rádio e da tv respetivamente. O digital actors não é passivo, dispõe da interatividade, age, reproduz mensagens e as transfere para amigos, grupos ou simplesmente para o ambiente e espaço onde outros digital actors interagem.

Progressão geométrica, onde o e-marketing, consegue transformar apenas duas mensagens, em mais de 300 exposições onde esse conteúdo fica disponível.
Mudanças para melhorar o desempenho de empresas e negócios.
Ferramentas para atender com qualidade o digital actor que sustenta tudo.

O consumidor.  clique e veja mais

 

Será mesmo?

Tem uma esquina em Porto Alegre onde a vitrine faz um desfile de modas a cada semana. Quer conhecer onde se inspiram as mais charmosas? Clica aqui e  curte

Procuran uma boa opção?

Novos conceitos e conteúdos, novos formatos são requeridos por digital actors, disseminados nos diferentes segmentos e grupos de afinidade. O comportamento digitalizado requer de novos estímulos. interactividade, e-commerce.

Digital Actors interacting in people.

Gutember deu vida ao livro, ao jornal e aos leitores. Quando o rádio estabeleceu o conjunto de ouvintes, o termo audiência definiu o conjunto de pessoas ligado nesse meio de comunicação. A TV incorporou o telespectador, afinou a mídia e métodos de estudo de preferências, horários  tipos de programação que durante anos pautaram custos, resultados e limitaram o acesso de anunciantes. A internet, a rede desenvolveu o conceito de internauta de surf na web. Uma nova forma de interatuar entre pessoas e trabalhar. Não é a toa que Microsoft, Apple, suplantaram a IBM, Olivetti, Burroughs na liderança e tornaram-se ícones, até mesmo em Wall Street. Porem tecnologia não é meio em si mesmo, é o suporte, o carrier  sobre os quais os novos meios de comunicação começam a delinear novas formas de comunicação. Pois bem, este novo genérico de leitores, audiência, telespectadores que os novos meios sustentados na internet, HD, conteúdos e entretenimento são os digitalactors. Uma expressão nova que define o processo da comunicação digital e dos novos meios e mídia atual. A virtualidade é suplantada pela realidade gerada a partir de conteúdos. Seja no youtube, digital magazines, Instagram, bambuser, ou dezenas de places de relacionamento e suas derivações nas Redes sociais. Num tablet, smartphone ou note, haverá um digitalactors condicionado a seu próprio papel. Interagindo, opinando, refletindo conceitos sobre insights  sobre mensagens recebidos.

As máquinas e sistemas, são brilhantes no processamento e classificação dos digital actors. Fantásticos avanços de Google adword, na segmentação  No detalhe e colocação das impressões. Mas o principio como são conduzidos não são tão distantes assim do Gutemberg e do manejo do telespectador. O link deve completar-se com conteúdo atual, capaz de encantar e criar um insight positivo e motivante no digitalactor, que por sua vez atuará como amplificador. Curtir? G+1?, não são opiniões apenas. São o receptor final dos novos meios digitais. Essa mídia determina as mudanças em comportamentos, no Branding real de produtos e serviços. O mailing indiscriminado agora é apenas Spam. Anacronismo de quem quer comunicar algo mas erra feio quando pensa que o telespectador receptivo, continua passivo. Ele é um digitalactors aberto, ativo e relacionado em rede. Muitas grandes empresas, a começar pela Kodak, não souberam dar valor ao seu principal patrimônio. Seus clientes, hoje digitalactors.

A mulher 21.

Executiva

 

Executiva

 

Começa trazendo uma nova feição às ruas e nas empresas.
Convenhamos, charme, cuidados, moda e determinação. Sim, ela está mudando a velocidade na execução dos projetos, na dedicação exigida.
Mesmo exibindo um sorriso de dentes impecáveis, sobrancelhas delineadas  e cabelos sedosos. Mãos feitas, indicando espaços. Argumentando, ou dizendo; espera aí!
Transformações derivadas do realismo onde estiveram inseridas, elas, suas mães e avôs. A hora do almoço, de ir na escola de fazer os temas, de administrar orçamentos apertados que exigiram ela ter que sair a batalhar para completar o orçamento, ou suprir um pai ausente. Mudanças que são para  sempre. O lar é diferente, se administra diferente.
Os negócios também são diferentes. A mulher no comando determina outras prioridades, modifica desde a decoração, o fornecedor ou troca de banco com facilidade. Escolhe o carro e o funcionário que melhor atende o que ela quer. Está em processo de aprendizagem, dando prioridade a sua formação universitária, ao Pós e ao Doutorado. O namoro não é meta e sim uma parte de um tempo de seleção, para um tempo que não toda a vida. Esta mulher que assumiu ser  cabeça de família e empresaria além do charme e bom gosto, impulsiona inovações. Desde a máquina de fazer pão, a olhar magazines no seu tablet e smartphone enquanto malha na academia. Mesmo assim, com todas essas transformações para as jovens, o vestido de noiva preserva todo encanto do sonho a ser realizado. O príncipe poderá não ser azul,  mas tem uma vaga. Os anos contam diferente para estas figuras femininas que embelezam espaços e ruas. Magazines e fotos nas redes sociais.