Tchê Gaúcho. Frances e Castelhano

Chez Philippe.

Reconhecido no Brasil todo pelas palavras e jeito de falar,
o gaúcho luze orgulhoso, vestimentas, cultura e hábitos
como o churrasco que o identificam com o Brasil e
pelo mundo.
Rio grande do Sul, tem uma universidade com curso
de asador; Toda uma história construída em torno a
vaca e o toro. Ao charque, frigorifico e ao couro.
A industria calçadista, a moda e gastronomia.
A trovadores, desde Teixeirinha até os atuais.
Mas muito pouco fala-se da origem do gaúcho
e da sua relação com o gado.
Espanhóis soltaram os primeiros animais na
região, hoje Uruguai. Neses campos naturais,
encontraram o Éden. Multiplicara-se por milhões.
Outros espanhóis os Jesuítas os trouxeram para
as missões. Assim as Vacarias, e nos sul a do mar.
Pois foi por esta, onde franceses, chagaram a procura
dos couros, e com ajuda dos índios e mestiços promoviam
carneadas gigantescas para extrair o couro e levar.
Numa dessas carneadas parece que o francês chamou a
um Chez gauche!
Todos os ginetes manejavam as rédeas com a mão esquerda,
eram canhotos. Gauche é canhoto em francês.
Alguém certamente sabia escrever.
GAUCHE
Então o CHE, Tchê do sul, virou ou outro, aquele.
Com maior incidência espanhola na vacaria do mar, índios
comunicando-se o che ele, o cho (yo=eu)
Ele é gauche eu gaúcho.
Conheça mais, de  como a França continua fazendo
da gastronomia de Porto Alegre cada vez mais
saborosa. Pagina 20 Inmagazine moinhos digital

 

Anúncios

Deixar uma Opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s